Simule

Horário de verão: Solução para consumo de energia?

20 de julho de 2021

compartilhe

Um retorno do horário de verão não traria impactos para a redução do consumo total de energia. Esta é a avaliação do especialista em energia e coordenador do Instituto Clima e Sociedade, Roberto Kishinami.

“Do ponto de vista de energia, o horário de verão tem pouco impacto na redução do consumo total. Isso já vinha sendo observado. Não tem tanta eficácia para isso”.

Roberto Kishinami em entrevista à CNN.

A economia de energia ficaria em torno de 1%, número pouco expressivo dada a crise hídrica que atinge o País.

“O que acontece é que houve uma mudança no perfil de demanda de energia, hoje em dia o ar-condicionado, por exemplo, é uma carga importante no consumo residencial, a ligação ocorre quando aumenta a temperatura. Isso faz com que o horário de verão tenha menos efeitos”

Roberto Kishinami reforçou que “qualquer redução ajuda”, citando de forma secundária o efeito do retorno do horário de verão. Segundo o especialista, o problema maior é o horário de “pico de energia”, onde o consumo coletivo é maior, como elevadores, iluminação pública, lâmpadas e afins.

RACIONAMENTO possível em 2022!

“O horário de verão para alguns segmentos ajuda, porque desloca as cargas que entram no horário de pico, é um efeito secundário, mas que é importante, não vai reduzir consumo total, mas faz com que a ligação ocorra em horário mais convenientes para o sistema”

Horário de Verão: Repensar para não racionar.

Roberto defende que as autoridades brasileiras devem fazer campanhas de conscientização da população para um planejamento anti-crise mais eficiente.

“Não usamos a eficiência energética de maneira adequada, só lembramos dela quando está em crise, o correto é aumentar a eficiência fora dela, sabendo que, em algum momento, a energia vai faltar, mais de 60% da energia no Brasil vem de hidrelétricas e as chuvas estão mais imprevisíveis, devido às mudanças climáticas”

Segundo Roberto Correa da COGECOM, o sistema de geração distribuída ainda consegue ser a melhor forma de contornar o problema de consumo elevado de energia não apenas no curto prazo, mas durante o ano todo:

“Quando o consumidor usa energia de fonte renovável além da concessionária, temos mais geração. Mais do que economizar é necessário repensar o consumo.”

O sistema de geração distribuída é o mais sólido e acessível no momento atual. Por se tratar de algo sem investimento e sem mexer na estrutura local, muitos condomínios e estabelecimentos tem aderido pelo retorno médio de 15 – 25% de economia de energia.

Visto que a maioria dos estabelecimentos não conseguem reduzir o consumo de energia, a COGECOM tem feito da seguinte maneira:

Sistema de Geração Distribuída COGECOM

Sem custo de adesão, o estabelecimento participa da geração remota de energia em usinas menores de energia renovável, que são repassados a concessionária, gerando créditos de energia pagando de 10 – 20% menos na fatura.

Você pode saber se seu estabelecimento se enquadra para Geração Distribuída clicando aqui.

Entre em contato e lhe ajudaremos gratuitamente a saber qual alternativa é melhor para seu negócio.