Simule

Pandemia faz aumentar o uso de energias renováveis

29 de maio de 2021

compartilhe

O dia 29 de maio é o Dia Mundial da Energia. Na data, diversas atividades são organizadas pelo planeta, incentivando ações em favor da consciência ambiental. O objetivo é conscientizar a população sobre a importância do uso de energias renováveis.

 Catalisadora de mudanças de comportamentos e de hábitos de consumo, a pandemia da Covid-19 tem acelerado o desenvolvimento de novos modelos de negócios por parte das empresas de energia. Mais do que nunca, a atenção destas organizações está voltada às energias renováveis.

Estudo da consultoria PwC demonstra que essa tendência é global e pode levar o setor para a próxima etapa da transição energética em direção à meta de emissão zero de carbono até 2050. No caso do Brasil, apesar de já ter uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo devido à utilização das hidrelétricas, o país também vive o crescimento das energias renováveis como a solar, a eólica e o gás natural.

O empresário Francis Polo, que desenvolve projetos e instala sistemas fotovoltaicos, o investimento em energias renováveis é o caminho para diversificar a matriz energética nacional.

“O desenvolvimento do setor de energias renováveis vai gradativamente substituir a contribuição das fontes tradicionais na matriz energética por fontes alternativas mais limpas. Isso favorece a descarbonização das economias em um cenário no qual a demanda de energia deverá recuperar a trajetória de crescimento de antes da pandemia”, comenta Polo, CEO de uma empresa com sede em Araçatuba.

Alternativa à energia elétrica tradicional, que depende de combustíveis fósseis e tende a ser muito mais prejudicial ao meio ambiente, a energia solar, e mais especificamente a fotovoltaica, ela conseguiu bater recordes em 2020, enquanto alguns setores da economia tiveram dificuldades por causa da pandemia.

Segundo a ABsolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), o Brasil ultrapassou a marca de 600 mil unidades consumidoras com geração própria de energia a partir da fonte solar. Com isso, a modalidade agora tem mais de 5,5 gigawatts (GW) de potência operacional instalada no país e presença em 5.297 municípios. Os consumidores residenciais lideram o ranking do uso de energia solar fotovoltaica, em comparação aos empresariais, representando 75% dos projetos desenvolvidos.

Fonte: Folha da Região