COGECOM – Cooperativa de Energia

Bandeira verde na energia elétrica. O que muda para o consumidor?

23.03.2022

A partir de 16 de abril de 2022, o consumidor de energia elétrica passará a pagar sua conta de energia elétrica com a bandeira tarifária na cor verde.

Essa decisão veio do Ministério de Minas e Energia no início do mês, e foi tomada em função da pasta considerar que, finalmente, a crise hídrica foi vencida com as atuais condições chuvosas, em vários estados, no fim do verão e início do outono.

Mas, o que essa mudança impacta no dia a dia do consumidor de energia elétrica?

Com a mudança para a bandeira verde, o consumidor residencial terá uma redução na sua conta de luz.

O que representa uma importante economia em tempos de inflação e desemprego em alta. Até porque, com a energia usada para produzir alimentos mais barata, esse custo poderá ser repassado, baixando o valor de alguns produtos no mercado.

O que são bandeiras tarifárias de energia elétrica?

As bandeiras tarifárias foram criadas ainda em 2015 pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e são indicadoras de custos de geração de energia para o Sistema Interligado Nacional (SIN).

Dependendo da cor da bandeira, significa um acréscimo de valor na conta do consumidor.

Elas variam de acordo com a quantidade de chuvas, já que a matriz energética do país é a hídrica.

Existem 4 níveis de bandeira tarifária de energia elétrica: vermelha, amarela, verde e a bandeira Escassez Hídrica.

Até 16 de abril de 2022, o Brasil estava sob o regime de cobrança da Bandeira Escassez Hídrica, em função da estiagem que assolava a maioria dos estados.

Nessa situação é necessário captar energia de termelétricas, que oferecem custo mais elevado de produção e são mais poluentes, o que aumenta o valor cobrado para o consumidor.

Na sequência, a Bandeira Vermelha é a que antecede a Escassez Hídrica, e é dividida em 2 patamares. O patamar 1 significa um acréscimo de R$ 3,971 para cada 100 kWh consumido. No patamar 2, esse acréscimo já passa para R$ 9,492 para a mesma quantidade de consumo.

A Bandeira Amarela é o símbolo de atenção. Esta cor é o alerta que as ondições hídricas estão piorando e a tarifa de energia já tem um acréscimo de R$ 1,874 a cada 100 kWh consumido por mês.

Já a Bandeira Verde, que entrará em vigor a partir de 16 de abril, indica que os reservatórios hídricos estão em boas condições de volume para geração de energia elétrica, de forma que não acresce valores às contas dos consumidores.

Essas bandeiras tarifárias também sinalizam aos usuários a necessidade de economia ou não a energia, visando evitar apagões.

Como as fontes renováveis auxiliam na redução de custo da energia elétrica?

As fontes renováveis como eólica, solar e de biomassa têm sido grandes aliadas na geração de energia no país.

Só a solar já possui uma capacidade instalada de 14 GWs em 2022, de acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

Este número equivale a mesma potência gerada pela Hidrelétrica Binacional de Itaipu, por exemplo, e é gerado em usinas centralizadas e pequenas centrais “caseiras” como fachadas, terrenos e telhados de particulares que instalam as placas fotovoltaicas.

Incentivados pela Lei de Geração Distribuída, inúmeros investidores, em todo o Brasil, estão escolhendo tornarem-se geradores de energia elétrica a partir de fontes renováveis, o que está auxiliando muito as concessionárias a atender a demanda de consumo que cresce a cada dia.

Além da economia que esses investidores alcançam com a geração própria de energia elétrica, ao optarem por aderir a uma cooperativa para compartilhamento de seus créditos, essa geração de energia se torna um negócio lucrativo e com retorno garantido.

A COGECOM, como maior e melhor cooperativa de geração de energia compartilhada do Brasil, está atuando há mais de 5 anos no mercado e gera em torno de 100 milhões de kWs a partir de fontes renováveis, e vem fazendo a diferença em seu segmento.

Hoje, presente em 6 estados (RS, SC, PR, GO, MT e MG), atende 10.000 consumidores empresariais e está em franca expansão, contratando mais usinas para seu portfólio, visando levar a oportunidade de mais sustentabilidade e economia para inúmeras empresas.

Dessa forma, busca cumprir com seu propósito de ser protagonista da transformação do planeta num lugar mais sustentável para as próximas gerações, por meio da evolução nas formas de gerar energia.

Se você possui uma usina de geração de energia a partir de fontes renováveis, vem conversar com a COGECOM.